As Dificuldades

Há um texto na bíblia que diz: “… também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança …” Romanos 5:3,4.

Sempre fiquei um pouco incomodado com isso. Quem “se gloria” da tribulação?

Atravessar a tribulação é ruim demais, e ninguém gosta. Ninguém vê motivo nenhum para se “gloriar”. Nós temos vergonha da tribulação. São poucas as pessoas para quem nós abrimos nosso coração e dizemos o quanto estamos tristes, quando assim estamos. Como já disse um poeta ao afirmar “é proibido pensar”, eu também afirmo: “é proibido ficar infeliz”.

Felizmente sempre aparecem umas poucas pessoas, que mesmo sem dizer muita coisa confortam seu coração apenas com a presença delas.

O momento de dificuldade é um momento confuso, em que você não entende direito o que está atravessando, e não sabe direito o que quer. Se Deus aparecesse pra você e dissesse: “eu vim para livrá-lo da tribulação e para isso farei qualquer coisa, diga-me agora o que você quer”, será que você saberia exatamente o que responder? Certamente viriam efeitos catastróficos como conseqüências de ter seus desejos atendidos pelo gênio da lâmpada.

Talvez a melhor coisa a se fazer em relação à tribulação seja mesmo passar por ela. Atravessá-la. Sentir seus efeitos dentro de você. Muitas vezes a tristeza, naquelas noites sombrias em que seu coração parece que vai explodir dentro de você. Muitas vezes a angústia, a solidão, o desespero e a agonia.

Às vezes, porém, você sente seus músculos trabalhando. Seus músculos emocionais e espirituais. Você começa a se sentir mais forte. Você começa a se sentir mais acordado, mais vivo.

A tribulação é como uma onda. Você está no mar, a onda está vindo, e ela é grande e terrível. Primeiro você tenta nadar pra um lado, e ela vem e te leva pro fundo. Depois você tenta fugir nadando para a margem, ela pega você novamente e te leva para o fundo. Depois ela vem novamente e você num gesto de bravura irracional resolve enfrentá-la de frente com suas forças, e novamente ela leva você para o fundo. E cada vez que você vai para o fundo, você engasga, perde o ar, enrosca seus pés nas algas, bate seus joelhos nas pedras.

Até que você então resolve atravessar a onda. Ela vem em sua direção, grande e terrível. Você respira fundo, engole os seus medos, e mergulha na direção dela, bem no meio. Então ela passa direto por você. E você se sente aliviado. A onda passou.

Atravessar a dificuldade é como atravessar essa onda. Com coragem, respirando fundo, engolindo seus medos, e mergulhar na direção dela, bem no meio.

E vem uma nova onda, e você novamente passa por tudo aquilo de novo. Medo, preocupação. E começa seu exercício de paciência. Porque você atravessou uma onda. Mas as ondas não param. As ondas continuam, continuam, continuam. E nunca vão parar. E você atravessa uma, duas, três, mil. E elas continuam.

E a vida é assim, você precisa continuar atravessando. Continuar mergulhando. Até ficar perito em atravessar ondas, e começar a atravessar ondas cada vez maiores. E a cada onda maior e mais alta, um novo medo, e uma nova insegurança. E elas continuam vindo, e você precisa continuar.

Às vezes você se cansa de atravessá-las, e começa a tomar caldo novamente, porque você decidiu que não quer mais atravessar onda nenhuma, e resolve começar a boiar. Como se boiar na água fosse fazer as ondas pararem de vir.

No final, você recebe sua medalha. Não de campeão por chegar em primeiro lugar, mas de honra ao mérito por ter atravessado todas as dificuldades da vida.

Talvez seja isso então. Honra ao Mérito!