Li recentemente uma notícia muito curiosa. Uma professora de um colégio britânico católico  foi julgada e condenada por assediar sexualmente um aluno da escola em que dava aula. A professora tem 24 anos, e o aluno 14.

Segundo a seção de notícias da UOL, onde a notícia foi publicada:

“A professora recebeu uma sentença de seis meses de prisão com suspensão condicional, o que significa que ela não terá de cumprir a pena a não ser que cometa outra infração nos próximos dois anos, e foi incluída na lista de agressores sexuais do país por sete anos.”

A notícia cita que a professora confessou os fatos diante do juiz, dizendo que havia ficado emocionalmente abalada por haver terminado um relacionamento, e começou a assediar o aluno.

Em toda essa situação, uma coisa muito curiosa foi a fala do juiz para a ré, ao definir sua conclusão sobre ela:

“O que está muito claro, infelizmente, é que naquele momento você só poderia ser vista como uma pessoa egoísta e hipócrita … “,” … por um lado, afirmando ser extremamente religiosa, com base na sua fé católica, e atuando como professora, ensinando educação religiosa para crianças. E por outro, alguém com um longo relacionamento com um homem que ficou ao seu lado, que a pediu em noivado e mais tarde se casou com você, enquanto você tinha um caso escondido e então, pelo que li no relatório, você achou o fim do relacionamento com essa pessoa tão difícil que permitiu que isso, de alguma forma, afetasse seu comportamento com esse jovem menino.”

Eu me pergunto: essa professora era egoísta e hipócrita porque enviou SMS com conteúdo sexual para um aluno, ou porque ela fez isso sendo uma pessoa que professava uma fé religiosa, e era professora de religião?

Sem dúvida o juiz não a condenou a seis meses de prisão por ser hipócrita, mas sim por ter cometido um crime, o de assédio sexual a menores de idade. Mas a conclusão pessoal dele a respeito do caráter da professora me impressionou.

Me impressiona a facilidade com que tiramos conclusões sobre uma coisa tão difícil de definir como é o caso do caráter de alguém.

Eu me pergunto: se a pessoa fosse uma atriz pornô, ou uma pessoa da mídia constantemente envolvida em escândalos sexuais, ela seria classificada como egoísta e hipócrita? Pense, e veremos que provavelmente não.

E neste caso, quem estaria sendo hipócrita?

A notícia encontra-se em http://noticias.uol.com.br/bbc/2011/11/01/professora-de-religiao-e-condenada-apos-mais-de-200-torpedos-para-aluno.jhtm, eu recomendo a leitura!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s